Compartilhe:



Especialista em Segurança Pública critica ação da PM em Santana: Do ponto de vista ético, moral e jurídico é revoltante

“Do ponto de vista técnico revela a colossal incompetência do policiamento ostensivo brasileiro que se funda exclusivamente na tortura e no assassinato", diz o especialista em Segurança Pública.

Por Heverson Castro

O advogado, professor e ex-secretário Estadual de Segurança Pública do Amapá (2002), Dorival Santos, teceu duras críticas ao comentar episódio que vitimou pelo menos três pessoas em Santana, durante uma ação policial considerada desastrosa na última sexta-feira, 10.

Dorival Santos é formado em História e Direito e possui doutorado em Segurança Pública, além de ser professor universitário e um estudioso dos problemas que ocasionam a violência no país e no estado do Amapá.

“O que aconteceu em Santana ontem do ponto de vista ético, moral e jurídico é revoltante”, criticou Dorival Santos em postagem no sábado, 11, ao comentar a repercussão das três mortes nas redes sociais.

Ney Santos como é conhecido no meio acadêmico é doutor em Segurança Pública pela Universidade Federal Fluminense e é professor dos cursos de Direito e História na Universidade Federal do Amapá. Sua tese de doutorado teve como foco o impacto das UPP´s (Unidades de Polícia Pacificadora) nos morros do Rio de Janeiro.

Santos é um estudioso da área da Segurança Pública e um crítico do atual modelo adotado pelo Governo do Amapá e pelo comando da PM que prioriza a política da Polícia de Confronto, que coloca a polícia do Amapá como a que mais mata proporcionalmente no país, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança e o Mapa da Violência.

“Do ponto de vista técnico revela a colossal incompetência do policiamento ostensivo brasileiro que se funda exclusivamente na tortura e no assassinato. Esse caso não pode ficar sem apuração séria, isenta e justa”, concluiu Dorival Santos.




Deixe seu Comentário