Compartilhe:



Com a derrota do irmão em Macapá, Davi Alcolumbre prioriza Santana com R$ 123 milhões de superemenda ao Orçamento da União

Deputados e senadores da cúpula do Congresso conseguiram levar mais recursos do Orçamento de 2020 para suas bases — e de seus aliados — do que parlamentares do chamado baixo clero no ano passado. A criação das chamadas “emendas de relator” permitiu que este grupo tivesse acesso a mais verba que os demais, que só tiveram direito às emendas individuais.

De acordo com informações do jornal o Globo, dentro do bolo das emendas de relator, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) enviou R$ 123 milhões para Santana (AP). Ele centralizou a distribuição dos R$ 2 bilhões das emendas de relator que couberam ao Senado.

O curioso, que o direcionanento da emenda para Santana foi logo após a derrota do irmão, Josiel Alcolumbre (DEM), que concorreu a prefeitura de Macapá e mesmo com apoio do governador, Waldez Góes (PDT), do ex-prefeito Clécio Luis (Sem Partido), do presidente Jair Bolsonaro e de grande parte da classe política amapaense foi derrotado por Antônio Furlan (Cidadania). 

Em Santana, foi eleito o prefeito Sebastião Bala Rocha (PSDB), aliado do senador Davi Alcolumbre.

Veja a matéria completa do Jornal o Globo https://oglobo.globo.com/brasil/superemendas-privilegiaram-aliados-do-governo-como-alcolumbre-flavio-bolsonaro-veja-os-numeros-24846500




Deixe seu Comentário