Compartilhe:



"Situação da Natureza", diz comandante do navio Anna Karoline III sobre tragédia

Uma equipe de reportagem tentou falar com o responsável pelo navio Anna Karoline III, mas não foi possível enquanto estava local do acidente. 

Mas os repórteres do jornal Diário do Amapá, Railana Pantoja e Jair Zemberg conseguiram entrevistar Paulo Simões que deu sua versão sobre o acidente. 

Paulo Simões disse que era por volta das 4h30 da manhã quando uma embarcação pequena aproximou pra pegar encomendas, o barco do senhor ‘Talegal’, “a gente parou e ficamos lá. Quando ela atracou ao nosso lado, começou a formar um tempo forte, muito vento e o navio foi adernando e não teve como segurar, virou. A gente estava a uns 100m da margem e nós, tripulantes, a metade em cima do casco do navio nos salvamos, e os outros foram socorridos pela balsa Moça e mais uma embarcação de madeira, justamente a que estava ao lado do navio”, detalhou. 

De acordo com Paulo, aproximadamente 80 pessoas estavam no Anna Karoline III. “Foram resgatadas 45 e como ficaram alguns por aí, no caminho, que a gente vem deixando, acredito que tenha umas trinta e poucas desaparecidas”, supôs. 

Segundo o comandante, a viagem seguia normal. 

“Foi muito rápido que formou mesmo o tempo, situação da natureza. Paramos pra deixar a encomenda para o conhecido ‘Tálegal’, e logo após ele encostar começou, aí estourou os cabos do barquinho dele. Por sorte, pois foi justamente o barco que socorreu as pessoas, senão, até ele teria virado e acho que seria pior a tragédia”, falou. 

“Teve gente que na hora que viu tombando, uns 3 ou 4, pularam logo pra dentro do barquinho dele. Aí o resto se salvou em balsa salva-vida, coletes e eu com mais uns 10 passageiros, ficamos em cima do casco do navio, pois ele virou de lado. O comandante da balsa Moça fez duas manobras e conseguiu pegar a gente lá”, completou. 

Paulo Márcio garantiu que o navio só saiu do Porto de Santana após inspeção da Marinha. 

“Quero esclarecer que nós só saímos do Porto de Santana após a autorização da Marinha, foi inspecionada e a Marinha liberou a embarcação. As pessoas comentaram que estava com muita carga; tava completa a carga do navio, tudo certinho, na marca d’água, inclusive viajamos 10h sem problemas, tudo legal”, finalizou.

Informações postadas no Tribuna da Calha Norte.




Deixe seu Comentário

Featured Posts