Compartilhe:



Polícia Federal indicia Josiel Alcolumbre, ex-candidato derrotado que foi apoiado por Clécio nas eleições de 2020 em Macapá

Josiel Alcolumbre que tenta reverter o resultado eleitoral de derrota acachapante nas urnas, recorrendo ao tapetão em denúncia de fakenews por meio de ação do partido Democratas, que se movimenta para cassar a chapa de Furlan e Mônica Penha, levou revés em inquérito da PF que apura crime eleitoral nas eleições de 2020.

Da Redação

A Polícia Federal indiciou o empresário, dono da Band Macapá e ex-candidato derrotado nas eleições para prefeito de Macapá em 2020, Josiel Samuel Alcolumbre Tobelem, irmão e suplente do senador Davi Alcolumbre (DEM), que foi candidato ao comando do Palácio Laurindo Banha, recebendo o apoio do ex-prefeito Clécio Luís na sua sucessão, mas acabou derrotado pelo atual prefeito Antônio Furlan (Cidadania) no 2º turno. Clécio é pré-candidato a governador e deve receber o apoio de Josiel e seu irmão Davi Alcolumbre.

O indiciamento de Josiel Alcolumbre faz parte do Inquérito Polícial (IPL) Nº 2020.0126896-SR/PF/AP, aberto pela PF por conta das eleições municipais, onde Josiel e sua ex-candidata a vice-prefeita, Silvana Vedoveli, constam como investigados por suspeitas de cometerem crime eleitoral no dia da votação do 2º turno das eleições municipais em Macapá.

Diz trecho do documento da PF que a reportagem do Portal Amapá teve acesso: “O presente Inquérito Policial foi instaurado em virtude de Ofício nº 030/2020-2PJE/MCP, oriundo da Promotoria da Justiça Eleitoral da 2ª Zona de Macapá/AP, requisitando a instauração de procedimento investigativo a fim de apurar a conduta do candidato À prefeito JOSIEL ALCOLUMBRE e a vice de sua chapa, SILVANA VEDOVELLI. Segundo o Parquet, com o fim de arregimentar eleitores para suas candidaturas a prefeito e vice prefeito, os investigados, no dia 22/12/2020, data em que se realizava o segundo turno das eleições para prefeito e vice em Macapá/AP, realizaram e difundiram, em um grupo de aplicativo de mensagens, um vídeo em que conclamavam os eleitores a votarem na chapa que faziam parte.”

O inquérito na PF sob o comando do delegado José Roberto Pires Neto, ouviu Josiel Alcolumbre e Silvana e concluiu que apenas Josiel agiu de forma intencional para desrespeitar as regras da legislação eleitoral. A PF indiciou apenas Josiel já que Silvana alegou que desconhecia a finalidade da gravação do vídeo e não imaginava que iria ser divulgado pelo candidato derrotado no dia das eleições.

“Trata-se de político experiente com mais de 15 anos de atividade político partidária, já participou de outras campanhas, portanto, sabe perfeitamente que a divulgação de conteúdo político partidário na véspera e no dia em que se realiza as eleições constitui crime”, diz relatório do inquérito que indicia Josiel.

Os autos do inquérito foram encaminhados no dia 09 de março deste ano ao Ministério Público Eleitoral para eventual denúncia por crime eleitoral nas eleições de 2020.

O que diz Josiel Alcolumbre?

O ex-candidato derrotado, Josiel Alcolumbre, se posicionou por meio de nota que circula nas redes sociais, alegando que seria vítima de fakenews, levantando suspeitas sobre a veracidade do indiciamento por parte da PF. Mas os documentos são claros e o indiciamento realmente é verídico. Veja a nota de Josiel:

Esclarecimento

É lamentável que, mais uma vez, tenhamos que lidar com FAKE NEWS que mentem, distorcem e confundem propositalmente. Não existe nenhuma ligação, citação ou investigação ligando meu nome à operação da Polícia Federal realizada na manhã desta quinta-feira (22) em Macapá.

Esclareço, com toda tranquilidade e transparência, que ações que tramitam, referentes ao pleito eleitoral do ano passado quando fui candidato, estão sendo acompanhadas pelo jurídico da minha campanha.

Josiel Alcolumbre




Deixe seu Comentário