Compartilhe:



“É uma desumanidade”, afirma o deputado Camilo sobre a reforma da Previdência

Camilo Capiberibe critica ataques do governo Bolsonaro com proposta de reforma da previdência que prejudica os mais pobres do país

Brasília, 20/02/2019 – O deputado federal Camilo Capiberibe (PSB) reafirmou, nesta quarta, 20, que não apoiará os itens da reforma da Previdência que retiram direitos da população trabalhadora. A proposta levada ao Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) aumenta a idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres, o tempo efetivo de contribuição, obriga a contribuição dos agricultores familiares e reduz o valor dos benefícios. Entre outras modificações, para alcançar a aposentadoria integral, o trabalhador precisará contribuir por 40 anos. O período de transição também aumenta a idade mínima e o tempo de contribuição e reduz o benefício a ser recebido pelos trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público. O Benefício de Prestação Continuada só será pago aos idosos em situação de miserabilidade acima dos 70 anos. “Se tiver uma casa pra morar, corre o risco de não receber. É uma desumanidade”, afirma Camilo.

“Precisamos corrigir as desigualdades sem penalizar os que já recebem pouco. É preciso passar um pente fino nas aposentadorias milionárias, apertar o cerco sobre os devedores e sonegadores e acabar com a Desvinculação dos Recursos da União – DRU – que tira 30% da arrecadação da Previdência para outros fins”, afirma o socialista.

“Esta proposta vai garantir uma renda apertada para a maioria dos aposentados e abrir um mercado para a previdência privada, empurrando pra lá os trabalhadores de classe média, ao mesmo tempo em que reduz a arrecadação da Previdência Pública. É um tiro no pé”.

O deputado Camilo é favorável que os ocupantes de cargos públicos eletivos, como deputados e senadores, se aposentem pelo INSS com o valor limitado ao teto da previdência social.

Sizan Luis Esberci




Deixe seu Comentário

Featured Posts